Categoria: blog

«Amor Maior»: Atores regressam a São Tomé e Príncipe para novas gravações




Estão já agendadas novas gravações de Amor Maior em São Tomé e Príncipe e a nossa representante em São Tomé, Marta Freitas, vai colaborar mais uma vez com a produção local da novela.


Sara Matos, José Fidalgo e, entre outros, Inês Castel-Branco foram os atores que, durante duas semanas, gravaram algumas cenas da novela Amor Maior, em São Tomé e Príncipe. As imagens paradisíacas do continente africano acompanharam os episódios iniciais da história assinada por Inês Gomes.

Agora, meses depois, a SIC já tem planeada uma nova agenda de gravações no estrangeiro. Ainda sem nomes garantidos, o elenco de Amor Maior regressará a São Tomé e Príncipe para novas gravações já no próximo ano.

A novela “Amor Maior”, nova aposta da SIC, também passa por São Tomé e Príncipe. Seis dos atores do elenco estiveram duas semanas naquele arquipélago africano e mostraram-se encantados com a população e as paisagens locais.

Veja acima alguns dos melhores momentos passados pelos atores Sara Matos, José Fidalgo, João Jesus, Matamba Joaquim, Rita Loureiro e Inês Castel-Branco no país africano, onde contracenaram em paisagens naturais e puderam conviver com os são-tomenses.

Com produção da SP Televisão, a nova ficção da estação de Carnaxide tem estreia marcada para setembro.

segundo mês de exibição, a novela mais vista de Portugal. Em média, mais de um milhão e 250 mil telespectadores acompanha diariamente a história protagonizada por José Fidalgo e Sara Matos.




Texto adaptado: Televisão | Jornal Notícias

Os 8 melhores restaurantes em São Tomé e Príncipe




Quem é apaixonado por gastronomia e mora em São Tomé e Príncipe vive um verdadeiro privilégio. A capital é detentora de recintos imperdíveis quando o assunto é boa comida. É por aqui que ficam pela sua classificação na Tripadvisor casas premiadas, das recentes às mais tradicionais.

1 – Tété

Quando se fala de gastronomia santomense, um dos nomes mais sonantes é, sem dúvida, a Dona Tété. Rodeado de diversas plantas – fruteiras, goiabeiras, bananeiras, cana de açúcar, limoeiros, rosa de porcelana, é no seu quintal, que podem ser degustadas diversas iguarias, entre as quais, choco, polvo e uma diversidade de peixe, grelhados no carvão. Preparados com um molho á Dona Tété e acompanhados da nossa famosa fruta pão assada, banana frita e legumes. Para finalizar, podemos deliciar-nos com algumas das suas sobremesas – mousse de manga, de sape sape, frutas tropicais, entre outras.
2- Papa Figo

Muito perto do Hotel Miramar, com preços acessíveis, pratos bem servidos e com boa qualidade… é bem frequentado, tanto por turistas como por locais, principalmente ao final de semana.
© Carlos G

3- Bigodes

 

Um espaço agradável com vista ao mar e com acesso a uma magnifica varanda de onde se pode apreciar toda baia da Praia Lagarto.

O Restaurante Bigodes fica à 10 minutos do centro da cidade capital e 3 minutos do Aeroporto Internacional de São Tomé e Príncipe.

Área Calma e de muitos estabelecimentos turísticos.

4- O pirata

Mais perto do centro, junto à praia e com vista para a mesma, fica o “Pirata”. Restaurante bem enquadrado, decorado e com boa confecção. Por vezes, no fim de semana e feriados, tem música ao vivo e muita animação..

© Bruno Correia

5- Celvas

O restaurante Celva´s é um espaço de conforto e hospitalidade onde se respira tranquilidade… Aqui, um ambiente é fresco e intimista que estimula o despertar dos sentidos e alia-se na perfeição a uma fusão de sabores e cheiros que misturam o melhor da tradição Santomense e Portuguesa numa coziha de qualidade. Localizado mesmo no centro de Guadalupe a 15 minutos da cidade, é um espaço ideal para desfrutar de uma nova panóplia de sensações. Venha visitar o nosso espaço e desfrutar de uma experiência única para os sentidos.
Serviços: Aceita reservas e Adequado para grupos
Especialidades: Pequeno-almoço, Almoço e Jantar
6- 5entidos

O projeto 5entidos iniciou-se pela vontade de inovar no mundo gastronómico.
No mar, no rio, no jardim, no terraço, foi assim que este serviço começou,levando um restaurante de luxo ao local escolhido pelo cliente.
Agora, evoluímos, e podem também encontrar-nos no espaço Restaurante/Lounge 5entidos, em São Tomé e Principe, onde estamos atualmente.
Assim, os 5entidos oferecem dois serviços distintos, com a maior qualidade e personalidade.
Estamos consigo na sua casa e na nossa casa! Venha conhecer-nos!

Contactos: 9818798
joao.nunes.africa@gmail.com
Rua da caixa nr: 201 Atrás do Liceu Nacional

7- Sabor da Ilha

 

Sabor da Ilha São Tomé

Situado no parque popular, Restaurante esplanada com capacidade de 100 lugares , cozinha espaçosa, grelhadores a carvão, forno a lenha, bem no centro da cidade, dentro do parque popular da cidade, espaço exterior com 600 m2, jardim, pequena piscina, palco para espectáculos, com clientela fidelizada, ambiente fantástico, proporcionamos refeições agradáveis e tranquilas.

8- Filomar

Grelhados de peixe: choco, polvo, dourada, cherne

Marisco: gambas, camarão, lagosta, santola

Grelhado de costoleta, frango, feveras de porco

Acompanhamentos: legumes cozidos, batata inglesa cozida, banana pão frita, fruta pão assada, mandioca cozida, molho verde

Cozido à portuguesa, caldeirada de peixe, caldeirada de cabrito, caril de frango

Moqueca de peixe

Sobremesas: fruta da época: ananás, papaia, banana madura, jaca, safu, goiaba

Pudim, gelatina, mousse de chocolate, mousse de limão, arroz doce à moda se são tomé, bolos

Morada:
Praia Lagarto, São Tomé, São Tomé e Príncipe
Referência: Stand Nissan
Estrada do Aeroporto

Já esteve em algum dos restaurantes ácima mencionados? DEIXE SEU TESTEMUNHO

 




Isabel Saldanha | Dicas de São Tomé

Foi a minha terceira vez em São Tomé, a primeira vez no Príncipe, e não será com certeza a última. Há alguns portugueses a viver em São Tomé e Príncipe e, ainda há aqueles que lá viveram e que têm um património de imagens e memórias carregados de histórias que não possuo. Este texto é apenas uma abreviação doce da minha experiência como viajante. Posso dizer sem pretensão maior, que fui arrebatada pela ilha na primeira ida. E posso ainda acrescentar, que cada vinda deixa uma saudade grande. Tenho a certeza que estas palavras organizadas são escassas, para tudo o que há a dizer, sobre este pequeno Paraíso. São apenas as minhas. O que é que eu posso dizer que acresça ao que aquilo é?Que vão até São Tomé e Príncipe de coração aberto, com alma de viajante e me tragam o Paraíso nas vossas palavras. Procurem na Net, pesquisem, desbravem, tracem rotas nos mapas, vejam as imagens, as paisagens, as historias das roças, dos projectos e das pessoas.

E lembrem-se: Viajar é viver a dobrar.

Uma questão de Espírito:

saotome

Ponte do Rio ló Grande

São Tomé não é para toda a gente. E não é com certeza, para os viajantes monocromáticos e acéticos das capitais europeias, nem para os aficcionados do frio intelectual das estepes do norte, nem para quem tem horror a baratas (e eu tenho muito!). E  muito menos, para ser sorvido, por quem tem medo de pessoas, na sua generalidade. O que aqui se encontra, acima da paisagem intacta, é a autenticidade das pessoas, acima da nobreza secular das roças, os sorrisos atravessados das crianças, acima da biodiversidade saturada de verde, a entrega, a simpatia, as pessoas. E se ao humano somarmos esse oxigênio verde que nos amplifica a alma, podem facilmente imaginar, que não é fantasioso, o epíteto de Paraíso. E se toda a ilha impressiona pelo revestimento a verde, pelos sons dos pássaros, mesmo a cidade Capital, descontando a poeira e o movimento é uma cidade impressionante.
É um País que acolhe famílias e casais, viajantes solitários e corações cheios.
Li nas paredes da Casa do Almada negreiros: “Ergue-te negro e ama a tua mulher no quente húmido da terra”.
São Tomé e Príncipe é uma ilha fabulosa para se celebrar o amor, ou não tivesse eu regressado há uns dias de anel na mão e a promessa renovada #atevelhinhos:)

No ir:

YE2A6596

Cidade de Santa Catarina | Ilha de São Tomé

STP Airways ou TAP escolham voos directos para São Tomé, sem escalas. São 6 horas de viagem não custa nada. O valor dos bilhetes reservado com antecedência pode sair mais em conta, mas isso já toda a gente sabe. Os impulsivos pagam sempre mais caro:) Conte com uma média de 600€ por bilhete a atirar para cima. E à saída guarde 20€/pessoa para pagar a taxa do “Adeus”. Se quiser ir à ilha encantada do Príncipe existem voos regulares de 35 minutos por cerca de 200€/pessoa (ida e volta) numa avioneta de 18 lugares. Ou pode optar por ir de barco, não dura menos de seis horas, mas nem os locais aconselham. Diz-se que o enjoo é o menor dos males.

A melhor altura:
Todas. Afinal de contas estamos no Equador.
Calor abrasador mas bom: Dezembro- Fevereiro
Chuvas ocasionais: Março a Junho
Não chove mas está nublado (céu branco): Agosto a Dezembro

Chove ou não chove?
Não confie na previsão das aplicações móveis, nem mesmo das mais idóneas. Estou desconfiada que as antenas de medição da temperatura devem estar colocadas no pico mais norte da montanha mais alta. As previsões que vimos antes de partir davam 100% de pluviosidade contínua. Mas não apanhamos mais do que um chuvisco quente de 10 min no penúltimo dia de regresso do sul. Arrisque, está no Equador! A temperatura média ronda os 25 graus. No sul chove mais que no Norte.  Agora, tente imaginar-se a banhos numa praia tropical só para si, com um chuveiro de água quente, e depois, se conseguir queixe-se. www.accuweather.com/pt/st/sao-tome/295304/january-weather/295304

OBRIGATÓRIOS PARA O ESTÔMAGO:

Peixe é a palavra de ordem: Peixe azeite, peixe abelhudo, peixe de olho grande, barracuda, Corvina, Atum e outros tantos, directamente das mãos do pescador para o nosso prato. Carne, só galinha ou porco. Vá por mim, abrace a dieta do peixe e deixe o sangue que lhe corre no corpo ganhar guelras. Garanto-lhe que vai sentir uma renovação espiritual tão grande, como se tivesse ido para Bali num retiro de YOGA. A acompanhar o peixe vão lhe dar mata-bala cozida, banana pão, banana frita, batata-doce e legumes. O azeite é fraquinho fora dos hotéis de renome, se for apreciadora, leve uma garrafa das boas na mala (ao lado do vinho).
P.S.: A maioria dos restaurantes carece de marcação antecipada. Se não há certeza, não há mesa.
Senão for daqueles maníacos, seguidores fiéis do culto de Baco, e apreciar cerveja, encontrará sempre as duas marcas portuguesas: Sagres e Superbock. Mas o que aconselho mesmo é que beba ROSEMA, a cerveja nacional, fresca, leve, cheia de gás e com menor teor alcóolico. A ideia não é embriagar-se de líquidos mas de experiências.

YE2A7896

Praia do Abade | Ilha do Príncipe

YE2A8395

Cesto de limas acabadas de colher na mata | Roça Uba Budo

YE2A7016

Restaurante Casa Almada Negreiros | Roça Saudade

YE2A8225

Malaguetas cultivadas na Roça Paciência | Ilha do Príncipe

YE2A7672

Pimenta | Roça Sundy (trouxemos para Portugal para moer sobre a comida a saudade)

YE2A7033

Cacau nos secadores | Roça Bela Vista | Ilha de São Tomé

YE2A6521

Restaurante Santola | Cidade de Neves | Ilha de São Tomé

Algumas sugestões de sítios para comer:

YE2A6842

Na Cidade de São Tomé:
O PIRATA – https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g294442-d7716867-Reviews-O_Pirata-Sao_Tome_Sao_Tome_Island.html

FILOMAR – https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g294442-d3701448-Reviews-Filomar-Sao_Tome_Sao_Tome_Island.html

TÉTÉ – https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g294442-d3617486-Reviews-Tete-Sao_Tome_Sao_Tome_Island.html

Norte:
NEVES: As famosas Santolas de neves no caminho para Santa Catarina e depois de um mergulho na Lagoa Azul

Casa/museu Almada Negreiros: https://www.facebook.com/casamuseualmadanegreiros/ (Uma varanda com uma vista deslumbrante sobre a floresta equatorial)

Sul:
MIONGA (São João dos Angolares) ( https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g1898566-d8713983-Reviews-Mionga-Sao_Joao_dos_Angolares_Sao_Tome_Island.html)

ECO LODGE DE INHAME ( http://www.hotelpraiainhame.com/hotel-overview.html) A Praia vale a visita. Descalcem-se e percorram-na do restaurante às rochas. No vosso lado vão ver os trilhos de desova das tartarugas.

A SANTÍSSIMA TRINDADE DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE:

Não me vou alongar em detalhes de tudo o que há para fazer, porque a ilha é rica em cenários, histórias, recursos e gentes.
Mas para mim há três imperdíveis:

1º As Pessoas:

De todos os países onde já tive, nenhum deles, bate a simpatia das pessoas deste país. Nem a delicadeza de alguns povos da Ásia, supera a disponibilidade sorridente das pessoas que conheci todas as vezes que aqui vim. Talvez ajude que a cultura do turismo, em crescente, não tenha minado a ilha de interesses estratégicos e pedinchices. As crianças pedem doces à beira estrada quando abrandamos para contemplar a paisagem. E ainda que não seja aconselhável andar pela ilha a distribuir cáries, até isso é doce, quando comparando com a descarada mendicidade de alguns países, onde os habitantes não se inibem de cobrar dinheiro por cada foto tirada, depois de se fazerem à pose. Apesar do aspecto degradado das sanzalas (casas dos antigos trabalhadores das roças, convertidas em habitações comunitárias) pode percorrer descontraído as ruas e falar com as pessoas. Haverá poucas que se escusarão a falar, e o mais difícil mesmo, vai ser abandonar o pedaço dessa experiência para seguir viagem. Eu adoro boas conversas, por isso, demoro-me com frequência nas roças a conversar com os locais. É pela voz de quem aqui mora que se conhece o espírito do povo. Não dê dinheiro, em troca da generosidade genuína, de quem conversa a troco de nada. Ofereça antes uma cerveja gelada e sente-se a beber com as pessoas, ou compre-lhes fruta para ajudar a pequena economia local. As crianças adoram fotografias. Senão tiver atenção não vai conseguir isolar um retrato, porque à sua frente vai ter uma infinidade de rostos sobrepostos:) Não se iniba, de lhes mostrar as fotografias é simpático devolver-lhes as imagens e a felicidade com que se revêm é uma experiência deliciosa de se viver. Se for do generoso carinhoso dê carinho. O mundo precisa disso e o povo são tomense sabe recebê-lo como ninguém.

YE2A8379

Moradora da Roça Uba Budo a comer Jaca | Ilha de São Tomé

YE2A8598

Crianças na Praia de Ió Grande | Ilha de São Tomé

YE2A7246

O Farmacéutico que me vendeu a última embalagem de Fenistil gel a um preço proibitivo.

2º As Roças:

São Tomé e Príncipe é uma antiga colónia portuguesa. Só na ilha grande estão contabilizadas cerca de 150 Roças: Antigas plantações de café, cacau e côco. A maioria delas encontra-se em avançado estado de degradação, mas todas, quase sem excepção valem uma visita. As minhas preferidas são a Roça: Boa Entrada, Agostinho neto,  Uba budo e a Água Izé. Na ilha do Príncipe vale a pena conhecer a Roça Sundy, a Paciência, a antiga roça Porto Real e espreitar o projecto de recuperação das roças que a empresa HBD (Here Be Dragons), que o milionário sul-africano Mark Shuttleworth está a desenvolver. Se ficou fã da herança colonial, se saiu da ilha com vontade de ser milionário, de comprar uma Roça, convertê-la em turismo rural e viver para sempre na linha que divide os dois hemisférios, não está sozinho:) Vale a pena ler este artigo do Público sobre o futuro  das roças: ” Saímos da cidade e começamos a rodar pelo asfalto rumo ao interior. À direita e à esquerda, uma malha exuberante de verde. Aqui e ali, por entre a vegetação, as casas típicas da ilha, palafitas com os seus delicados telheiros e alpendres de madeira, panos coloridos a fazer de portas e janelas. Suspensas por todo o lado, fruta-pão, jacas, mangas e bananas vão correndo pela paisagem. Depois, de repente, o paraíso acabou e uma enorme cidade-ruína emerge do meio da selva como um monstro a erguer-se do passado.- https://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/temos-10-anos-para-salvar-as-rocas-de-sao-tome-e-principe-1613764

Aqui pode antecipar a visita e seleccionar algumas das roças que quer visitar: http://www.asrocasdesaotome.com/as-rocas/

YE2A8258

Roça Uba Budo | Ilha de São Tomé

YE2A7273

Roça Boa Entrada | Ilha de São Tomé

YE2A7124

Roça Bombaim | Ilha de São Tomé

YE2A7614

Roça Sundy| Ilha do Príncipe

YE2A7500

Roça Sundy| Ilha do Príncipe

3º A Natureza:

São Tomé e Príncipe é um gigantesco parque natural. Considerado por muitos como a segunda floresta mais importante, em termos de interesse biológico, entre 75 florestas de África. A ilha do Príncipe prima pela preservação do maior número de espécies endémicas (únicas e que só existem naquele lugar). Sempre que puder desfrute das caminhadas, a temperatura no interior da floresta é mais fresca, e não há nada como caminhar ao ritmo da melhor fotossíntese. Foi nesta ilha que foi comprovada a Teoria da Relatividade de Albert Einestein em Maio de 1919.  Esta ilha é um éden, uma benção do criador sobre a terra. Se eu fosse pássaro ou peixe, até macaco, assentaria aqui morada. Neste palco de verde os actores principais são a fauna e a flora, assuma o seu papel secundário e desfrute somente do que a natureza lhe dá.
Para simplificar, na ilha de São Tomé existem 3 rotas para dar a volta à ilha: O Norte, o Sul e o Centro.
De forma abreviada aconselho que vá ao Norte com um Guia, visite as Roças que puder, dê um mergulho na Lagoa Azul e pare em Neves para comer as famosas santolas. Não volte para trás até ter percorrido o caminho até à cidade piscatória de Santa Catarina. Vá até ao Padrão dos descobrimentos que assinala o local onde desembarcaram em 1470, os primeiros descobridores portugueses, João de Santarém e Pêro Escobar. O Norte tem um pôr do sol mágico imperdível. Não saía da ilha sem parar na Praia Moça a namorar os últimos raios do sol sobre a baía. Se puder leve uma grande banda sonora, uma coluna pequenina, e percorra o serpenteado da estrada junto ao mar a puxar pelo volume alto das suas emoções, foi exactamente isso, o que eu fiz.
O Sul é o caminho mais verde, as estradas estão bastante melhores que o sul e dá para conversar sem bater com os dentes. Nesta rota encontram as melhores praias da ilha: Praia de Inhame, Praia Piscina e Praia Jalé. Em Ponta baleia apanha o barco que o leva ao ilhéu das Rolas. Não recomendo a estadia, porque embora o ilhéu valha a visita, são apenas 3 km2 com uma população de 200 trabalhadores que trabalham em exclusivo para o único resort da ilha. Reforço a ideia: Se é praia de sonho (água verde esmeralda transparente a 26 graus) que quer, vá para a ilha do Príncipe, sem passar na casa da partida. É neste santuário verde que encontra algumas das praias mais bonitas do mundo: Praia Boi, Praia Banana, Praia de Santa Rita, Praia Bombom e praia Macaco, entre outras.
Ainda pelo Sul, além do fato de banho obrigatório para um mergulho em cada uma das praias, não se esqueça de visitar as Roças e as povoações. Sempre que lhe apetecer, saia da estrada principal e aventure-se na descoberta dos trilhos, que levam a pequenas vilas encostadas a praias que não constam dos mapas. Lembre-se que não está num safari no Quénia, pode abandonar a viatura e passear entre as pessoas que ninguém lhe faz mal:)
No Centro é obrigatório parar na Roça Monte Café e beber café arábico produzido na roça. Percorrer a estrada até à cascata de São Nicolau, visitar o Jardim Botânico e almoçar na Roça da Saudade (Casa onde Almada Negreiros nasceu). Se gostar de caminhadas tem aqui algumas opções interessantes. Não esqueça o repelente e vá de calças, acredite em mim. Ainda tenho restos de varicela nas pernas:)

YE2A7861

Vista do Boné de Jockey | Ilha do Príncipe

YE2A6934

Jardim Botânico | Ilha de São Tomé

YE2A6906

Jardim Botânico | A caminho da Lagoa Amélia (Em tributo à um mulher aventureira que terá desaparecido na cratera da Lagoa)

YE2A6982

Cascata São Nicolau | Ilha de São Tomé

YE2A6727_1

Túnel de Santa Catarina | (Norte) Ilha de São Tomé

YE2A6719_1

Praia Moça a caminho da Cidade de Santa Catarina | Norte (Ilha de São Tomé)

Para dormitar:

YE2A8618-1

Roça S. João  | São João dos Angolares | Ilha de São tomé

YE2A8639-1

Roça S. João | São João dos Angolares | Ilha de São tomé

YE2A8648

Roça S. João | São João dos Angolares | Ilha de São tomé

SÃO TOMÉ: Cidade e arredores
OMALI: http://www.omalilodge.com/
CLUBE SANTANA: http://clubsantana.com/ (Na vila de Santana)

SUL:
HOTEL PRAIA INHAME: http://www.hotelpraiainhame.com/hotel-rooms.html
ROÇA DO CHEFE JOÃO CARLOS SILVA  (Não tem ar condicionado, nem blackouts ou cortinas que impeçam a luz do sol de invadir o quarto a partir das 5 da manhã. A somar a isso, junte-lhe o galo que arranca a cantar antes dos primeiros raios de sol. O pequeno almoço é só fruta boa e pão com geleia)-https://www.facebook.com/rocasaojoao

NORTE
MUCUMBLI: https://mucumbli.wordpress.com/ (Não fiquei aqui mas parece-me uma boa alternativa para quem quer explorar o Norte com calma.) Sugestões do Site oficial da Direcção Geral de Turismo de São Tomé e Príncipe: http://www.stptourism.st/onde_ficar/alojamentos/ilha_stp.htm

ILHA DO PRÍNCIPE:

Fiquei no BomBom e recomendo. Os preços não são os mais convidativos mas tenho a certeza que ameniza culpa do gasto, com o primeiro mergulho naquelas águas e com o segundo olhar prolongado sobre a paisagem impenetrável de floresta verde fluorescente. Opte por regime de Meia pensão, pode sempre almoçar na capital a caminho da visita das roças. A ilha funciona a gerador e a partir da meia-noite é a escuridão total, com excepção do resort do Bombom.
http://www.bombomprincipe.com/ (resort de sonho com bungalows plantados na praia)
http://www.belomontehotel.com/ (Um hotel de charme de luxo situado numa falésia verdejante com acesso à praia Banana)

YE2A7817

Resort BomBom | Ilha do Príncipe

YE2A7823

Bungalows do Resort Bombom à beira da praia com o mesmo nome.

Crianças SIM ou NÃO?

Não sou a mais corajosa, nem a mais inconsciente das mães mas gosto de lhes proporcionar experiências humanamente ricas. Levei as minhas filhas, na altura com 4 e 7 anos para São Tomé. Ficamos no Club Santana, alugamos uma pick-up e partimos à descoberta da ilha com latas de feijão-frade, talheres “emprestados” do hotel, bananas retiradas do pequeno-almoço e muita lata. Mas é preciso ter esse espírito. São Tomé não é a ilha dos resorts e das piscinas sem fim é a ilha das roças, das paisagens, dos trilhos com história, das povoações junto às estradas, das conversas regadas a sorrisos, das crianças curiosas de pés descalços. Chegar a São Tomé e “abancar” num hotel com piscina é o mesmo que trocar o Paraíso por uma cruzeiro da Inatel.

A ilha de São Tomé é um convite aberto à interacção, à conversa, à descoberta dos ritmos da ilha, dos paladares, de uma forma “leve-leve” de viver. Tem praias, cascatas e baías encantadoras, mas tem património colonial de cortar a respiração, não vai querer perder isso. Se tem crianças pequenas, que ainda não dominam a arte da contemplação da paisagem, que fazem sestas demoradas e não comem tudo o que vem à mão, opte por ir para a ilha do Príncipe e agarre-se ao menu do hotel, desfrute das praias de água morna e deixe os trilhos mais elaborados para uma próxima vez.

Há 3 anos quando viajei com as loirinhas para São Tomé escrevi este artigo de Perguntas e respostas para a Pumpkin, sobre o tema “Viajar com crianças”. Acho que continua a ser ilustrativo do que me move nas minhas férias com as minhas filhas:
http://isabelsaldanha.com/viciada-em-carimboss-passaporte/

YE2A8577

Criança brincalhona na praia de areia preta de Ió Grande | IIha de São tomé

IMG_0293

A minha filha Caetana com uma criança ao colo numa Roça

IMG_0235

A Camila na Roça Boa Entrada | Ilha de São Tomé

Custos, Despesas e Sentenças:
São Tomé e Príncipe não é a Tailândia. Neste paraíso do Equador abençoado com a riqueza de uma biodiversidade auto-sustentável, quase tudo o que o turista precisa é importado. E tudo o que é importado tem um sobrecusto: Uma refeição média custa à volta de 25€ /duas pessoas (num restaurante banal e sem vinho) Não existem restaurantes da moda ou coisa parecida, o melhor que pode comer com a dita “elegância europeia” é num hotel, mas vai pagar 60€ por duas pessoas. Não se esqueça que São Tomé não produz vinho. Faça como nós, abdique de roupa e leve o seu próprio licor.:) Quem vai para esta ilha não procura o traço cosmopolita procura o inverso e o inverso aqui é deliciosamente salutar. Tudo é deliciosamente simples e com arroz. Deleite-se, assim como quem vai a casa da avó comer o que ela faz de melhor, com o melhor que tem: os recursos da terra.
Na ilha do Príncipe as opções estreitam-se, existem alguns restaurantes na pequena capital, mas os preços em geral são ainda mais altos que em São Tomé. Qualquer deslocação do hotel em visita é paga, qualquer passeio de barco, snorkeling, visita às tartarugas, trilhos com guia pela floresta, e os preços são elevados por pessoa. Sem pensar nisso, vai assinando as contas e pondo no quarto, mas depois não se admire quando pegar na folha do Check-out e vir o valor da estadia duplicado. Informe-se bem na recepção e faça as contas no bar do hotel enquanto bebe uma caipirinha (10€).

É necessário guia ?

São 859 km² de ilha em São Tomé, dá para visitar numa semana cheia. Mas se quer ir curtir o bem bom das praias na ilha do Príncipe dê-se a si mesmo 10 dias no mínimo. Em STP não há sinalização ou indicação de caminhos, mas em contrapartida a população é altamente prestável, e não sentirá qualquer dificuldade em deslocar-se sem ajuda. Pode recolher um mapa no posto de turismo ou recorrer ao googlemaps para estudar a viagem com avanço. Os guias têm a vantagem de serem habitantes locais, conhecem as localidades e as comunidades como ninguém. Dão aquele toque musical ao compasso das histórias, marcam os restaurantes e levam-nos a kizombar. Bem “brifados” os guias constroem as rotas ao sabor do espírito do que se quer viver. Ficam aqui alguns contactos destes amigos-guias podem dizer que vêm da minha parte:

Contactos Guias São Tomé:

Paulo: +239 995 497 5 (https://www.facebook.com/profile.php?id=100009790213101&fref=ts)
Mayke Jackson: +239 985 853 1 (https://www.facebook.com/maykejackson.jackson/about)

YE2A6915

Paulo, o nosso guia pelas floresta de São Tomé.

YE2A8144

Roça Porto Real | Ilha do Príncipe

YE2A8179

Caminho para a Roça São Joaquim | Ilha do Príncipe

Aluguer de carro:

Conte com 50€/dia para alugar um Jeep, se quiser uma pick-up para exercer a sua generosidade em boleias com a população local ponha 80€/100€ de parte. Os hotéis podem assegurar o aluguer dos carros ou trata directamente com os guias locais, podendo negociar o preço com guia incluido. Normalmente ficará 80 € dia com carro e guia.

Não pode ir sem…

Protector de mosquitos: A malária e o paludismo estão à beira da extinção em São Tomé e não são consideradas vacinas obrigatórias. Mas se for daquelas pessoas que tem muito medo não vá. Só aconselho o repelente porque as picadas fazem uma comichão tão grande que vai dar por si a roçar-se na areia para esfoliar a dor. Nunca me passou pela cabeça que fossem mosquitos das forças do mal. São melgas iguais às nossas. Em STP não há saúde pública de qualidade e mesmo a privada é escassa. Se tiver que recorrer a um hospital o mais certo é vir de escantilhão para Lisboa. Para quem tem espírito hipocondríaco não é um destino aconselhável. E o mesmo se aplica a pessoas cuja saúde exija cuidados especiais. Esqueça o protector solar factor 80 porque o sol em STP não abrasa nem queima, excepção feita às viagens de barco. Leve uns ténis bons para a caminhada e chinelos. Roupa? Só mesmo aquela que ainda não deu, porque não deu, e a que usa quando quer pintar a casa. Meninas, esqueçam tudo o que tenha salto e muito atacador e muito botão. Roupas leves que deixem o corpo com a mesma mobilidade com que se mergulha nu no oceano. Óbvio que dá para um vestidinho de alças bonito para jantar a dois, mas a ilha apela a simplicidade total. Rímel e segue jogo:)

Quer ajudar?

YE2A7384

Crianças acabadas de chegar da escola no hall da Roça Boa Entrada

Se quiser contribuir com ajuda para a população local e abdicar de uns quilos de peso na sua mala, a favor de pastas de dentes, cadernos, canetas e afins, estou certa que as associações que trabalham no terreno agradecem. Mas não vá como bom samaritano em causa própria, a ajuda quando é direccionada tem maior alcance.
Informe-se: (Deixo aqui algumas referências, certamente existirão mais, se souberem avisem que coloco aqui, bem como a lista dos bens mais necessários, Obrigado)

Fundação da Criança e da Juventude – S. Tomé e Príncipe : https://www.facebook.com/Funda%C3%A7%C3%A3o-da-Crian%C3%A7a-e-da-Juventude-S-Tom%C3%A9-e-Pr%C3%ADncipe-153912814664836/

Sonha, Faz e Acontece : http://sonhafazacontece.org/

Novo Futuro: http://www.novofuturo.org/novofuturo/cms.aspx?plg=5950A638-05C4-4085-8032-1D80CCB6C116

AMI:  http://www.ami.org.pt/default.asp?id=p1p7p28p132&l=1

Helpo: http://www.helpo.pt/PT/Projectos.aspx

Instituto de Camões: http://www.instituto-camoes.pt/sao-tome-e-principe/root/cooperacao/cooperacao-bilateral/sao-tome-e-principe

Procura – Fundação Claret:http://www.claretianos.pt/missoes/index.php/missoes/bancodeleite

Fonte: http://isabelsaldanha.com/dicas-sao-tome-e-principe/

São Tomé e Príncipe: As ilhas de chocolate

Uma vez que o maior produtor mundial de cacau, as ilhas Africano estão finalmente vivendo até seu apelido novamente
Meu nome é Mark e eu sou um chocoholic. Na verdade, eu sou tão viciado minhas endorfinas mexer no mais fraco sopro de uma plantação de cacau.

Assim, visitar o estado de duas ilhas de São Tomé e Príncipe (ao largo da costa da África equatorial ocidental) faz o meu pulso acelerar. Porque em 1913, o segundo maior país da África foi o maior produtor mundial de cacau. Eles foram apelidados de “Ilhas de Chocolate”.

Sob o domínio colonial português, a produção foi organizada em roças. Após a independência, em 1975, a falta de investimento e o colapso dos preços globais fizeram com que o auge de São Tomé se dissolvesse lentamente.

Hoje, as roças encontram-se em ruínas atmosféricas. Na Roça Porto Real, na Ilha do Principado, o guia de 62 anos, João Catarina Lopes, os recorda bem. Já a selva recuperou o antigo hospital de Porto Real, enquanto as árvores empalham o telhado de uma casa de plantação onde os vigilantes portugueses espionavam a sua força de trabalho.

“As roças eram pequenas cidades”, explica João. “Eles tinham escolas e hospitais para os trabalhadores, mas estes foram apenas para impressionar estranhos. Eles eram pouco mais que escravos “, ele suspira.

Nos últimos tempos, no entanto, o renascimento da indústria de cacau de São Tomé e Príncipe tem vindo a ganhar força. Na Ilha do Principado, o bilionário de TI da África do Sul e o grupo HBD do astronauta Mark Shuttleworth têm investido em turismo sustentável e agrícola.

No seu Bom Bom Island Resort, tomo café da manhã em cima de muesli tropical salpicado com suculentas sementes de cacau e um rico nutella-como propagação concentrada de cacau local.

Eles são fabricados na concessão Rocha Paciência da HBD, onde a produção de cacau está sendo restabelecida juntamente com as lavouras de baunilha e pimenta.

O supervisor da fazenda Arlinda Pereira Antonio me disse que nasceu nesta roça há 52 anos e que a plantação remonta a 500 anos.

Ele abre uma casca de cacau madura para mim. Pego a carne branca escorregadia da vagem. É deliciosamente perfumado e casaco doce os feijões de cacau ligeiramente amargo.

Eu tenho um passo adiante para aliviar meus desejos, graças a Claudio Corallo – um italiano conhecido como o “King of West African Chocolate”. Ele é um dos poucos chocolatiers de feijão-a-bar que trabalham na África, ao invés de exportar o cacau para a Europa, onde tanto o produto final como o lucro real são feitos.

A colina de Cláudio, a Roça Terreiro Velha, no Principado, tem vista para o Atlântico, perto de colinas vulcânicas escuras que se assemelham a cacos de ovo de Páscoa esmagado. Ele está actualmente de volta em sua Itália natal recebendo um prémio internacional por seu chocolate, então seu funcionário, Acácio, me mostra.

Alguns dos fermentos da cultura de cacau em caixas de madeira e em um secador de laje de pedra aquecida a partir de baixo como um hypercaust romano, milhares de feijão estão secando.

Pego um punhado. Divindade. Mesmo em seu estado não processado, um rico sabor de chocolate explode.

“Então o chocolate de Claudio é feito aqui?” Eu peço com esperança. “Não, os grãos são enviados para São Tomé para a fábrica de chocolate de Claudio”, diz Acacio.

Desesperado por um conserto, vôo para Cidade de São Tome  no dia seguinte. Fábrica de Cláudio está localizado em uma avenida do oceano, onde as mulheres vendem atum alba-cora de baldes.

O exilado português Catarina Sousa leva-me a um passeio oferecido três vezes por semana aos visitantes. O aroma interior é inebriante. Bliss do chocolate. Os trabalhadores revestidos de branco misturam as cubas gloopy da ambrosia líquida escura antes que seja solidified e empacotado para a exportação.

Gostaria de experimentar um pouco, diz Catarina, possivelmente percebendo minha baba babado a puro chocolate aromatizado com laranja, café arábica e gengibre?

Yum, o bar de cacau 100% é um concerto de escuridão, aveludado, e notas agridoce. Eu gosto de terra vulcânica terrosa, sol doce Africano e, espero, um futuro mais brilhante, de inspiração de chocolate para estas ilhas celestes, após décadas de negligência.
Por Mark Stratton
Tradução: natgeotraveller.co.uk

10 razões para fazer turismo em São Tomé e Príncipe

Podíamos apresentar muitas razões para fazer turismo em São Tomé e Príncipe, mas apresentamos 10 das que nos parecem mais importantes para o viajante que gosta de natureza e de descobrir novos destinos.




1- Custos: Para o viajante ocidental São Tomé e príncipe é um destino muito atractivo a nível de preços de alojamento, refeições, artesanato local, viagens internas, etc.

2- Belezas naturais: São Tomé e Príncipe é um país de rara beleza, como testemunham todos os que nos visitam. Das praias às paisagens do interior, da selva tropical, à savana, passando por cascatas, árvores gigantescas, rios e lagoas, São Tomé e Príncipe é um país onde somos sempre tocados pela beleza, pela imponência e pela natureza.

© Hotel Pestana & Resorts

3- Simpatia das suas gentes: – O povo de São Tomé e Príncipe é naturalmente simpático e pacífico, gostando de receber bem os visitantes e de partilhar com eles saberes, culturas e tradições. Desde as crianças aos mais velhos, há sempre um sorriso, um cumprimento, uma simpatia. Como nós dizemos, São Tomé e Príncipe é leve-leve.
Turismo São Tomé

© Bernardo Conde Photography

4- Fauna: São Tomé e Príncipe é um dos países do mundo com maior número de espécies endémicas o que, num país de pequena dimensão, é verdadeiramente notável. Aqui o viajante encontrará espécimes que não verá em nenhuma outra parte do mundo. Uma aventura para os amantes da natureza, da fotografia e dos passeios pedestres.

© saotomerpincipe.co.uk

5- Flora: Tal como no relativo à fauna, a flora de São Tomé e Príncipe é também muito rica em espécies endémicas, algumas de rara beleza. Um bom guia turístico ajudá-lo-á a descobri-las.

© google.st

6– Gastronomia: A gastronomia de São Tomé e Príncipe, misturando habilmente sabores e técnicas europeias e africanas, é bastante interessante e apaladada. Os amantes de peixe e de produtos do mar, assim como os apreciadores de frutos e vegetais, encontrarão aqui motivos para apreciarem a boa mesa santomense.

© google.st

7- Praias: São Tomé e Príncipe proporciona praias muito diversas, algumas de areia negra, outras de areia branca, locais sem ondas, outros com ondas e propícios para o surf, excelentes locais de mergulho e observação subaquática, sítios paradisíacos, alguns quase desertos. A temperatura das águas é fantástica durante todo o ano.

© Bernardo Conde Photography

8- Diversidade: Entre mar e montanhas, cidade e campo, floresta tropical e savana, selva virgem e roças, entre a ilha de São Tomé e a ilha do Príncipe, diversidade é uma característica do arquipélago.

© Inês Gonçalves Photography

9- Segurança: São Tomé e Príncipe é um país seguro e tranquilo onde o turista pode andar e passear sem correr riscos, seja de noite, seja de dia. A população é afável e pacífica.

© Bruno Correia

10- Desenhe uma viagem ao seu gosto e à sua medida: Esta é, também, uma das razões para uma viagem a São Tomé e Príncipe. Com a nossa ajuda poderá desenhar a sua própria viagem, percursos e interesses pois tudo faremos para concretizar os seus desejos. Poderemos igualmente ir buscá-lo e levá-lo ao aeroporto, tal como poderemos providenciar-lhe transporte seguro e confortável. Seja em São Tomé, seja no Príncipe, poderemos guiá-lo durante a sua estadia, mostrando os verdadeiros segredos e maravilhas destas ilhas.

De: “Cau”




Carlos Max Horta – “Cau” – Guia Turístico

Nascido na ilha do Príncipe, residente na ilha de São Tomé, Carlos Max Horta trabalha na área do turismo há uma dezena de anos e é, em qualquer das ilhas, o guia ideal para lhe proporcionar momentos verdadeiramente inesquecíveis na descoberta dos segredos mais bem guardados do arquipélago.

Praia Santa Rita, na Ilha do Príncipe, ©Daniel Rocha

Cau, como é familiarmente tratado por clientes e amigos, é um apaixonado pelo seu país natal e pretende partilhar consigo essa paixão. Tendo crescido numa roça na ilha do Príncipe, Cau convive desde criança com as plantas e os animais nativos, as espécies únicas e endémicas, aprendeu a conhecer-lhes as características e os segredos, domina os seus usos, aplicações e ritmos sazonais.

Folha de Makabali, útil para limpar os dentes. ©Diana Relego

Profundo conhecedor do arquipélago, Cau pode desvendar-lhe os trilhos, os caminhos, os lugares, as gentes, seus usos, costumes e hospitalidade. Com ele o viajante pode desenhar os seus próprios programas, de modo totalmente flexível, podendo, por exemplo, misturar e combinar diferentes tipos de alojamento, de acampamentos na floresta a casas de hóspedes low-cost ou resorts de luxo.

Praia Piscina, São Tomé

O viajante é igualmente convidado a, no conforto e segurança de um Toyota 4×4, descobrir a arquitectura das antigas roças coloniais, almoçar ou pernoitar numa delas, nadar nas águas cristalinas da Lagoa Azul, aventurar-se num “duche” refrescante numa das maravilhosas cascatas de água doce que existem em São Tomé ou pisar a linha do equador, colocando um pé no hemisfério norte e, simultâneamente, outro no hemisfério sul.

Cau pode também acompanhá-lo e mostrar-lhe as belezas espectaculares da ilha do Príncipe e, por exemplo, mergulhar consigo à descoberta da incrível riqueza da sua fauna marinha ou, por outro lado, levá-lo a observar algumas das mais raras aves do mundo e revelar-lhe os seus hábitos e habitats.

Apesar da sua dimensão, São Tomé e Príncipe é um arquipélago de grande beleza, diversidade e riqueza natural e cultural. Com a ajuda de um guia profissional, conhecedor e apaixonado como Carlos Max Horta a sua estadia pode tornar-se muito mais rica e inesquecível.

O que dizem sobre Cau na imprensa:

“Sabe-a toda, cada planta com potencialidades medicinais ou utilitárias, e conta-nos pedaços da história da sua ilha equatorial e do seu país à medida que nos mostra aquela planta que substitui o sabão e que a avó usava nos tempos da crise, a outra que funciona como esfregão, ainda outra que é como lixa, o melhor ananás da vida, o coco fresco, as laranjas picantes. E, claro, a pimenta, o cacau, e mais uma planta boa para a diarreia, outra para as comichões, um chá para a febre, o trilho e as piadas. À medida que os pulmões e as pernas dão de si, descemos para mais uma praia maravilhosa, mais uma comunidade piscatória amistosa.”

No Público Joana Amaral Cardoso , Maio de 2014

TAXA DE SAÍDA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE PASSA A ESTAR INCLUÍDA NOS PACOTES TURÍSTICOS

A taxa de saída de São Tomé e Príncipe, que era cobrada em balcões nos aeroportos, passou a ser incluída nas taxas de aeroporto dos pacotes turísticos, segundo uma informação divulgada pelo operador turístico Soltrópico.

A informação do operador indica que “a Empresa Nacional de Aeroportos e Segurança Aérea (ENASA) de São Tomé e Príncipe decidiu encerrar os balcões de cobrança da taxa de saída do país que, com efeitos imediatos, passará a ser coletada nas taxas de aeroporto dos pacotes turísticos”.

O objectivo, sublinha a mesma informação, é “terminar com as filas geradas para o pagamento desta taxa localmente, acelerar o processo de embarque e minimizar os tempos de espera nos aeroportos nacionais”.

Esta alteração, que afecta novas reservas e reservas já efectuadas, com emissão de bilhete a partir de hoje, dia 28 de Novembro, “irá trazer maior comodidade para os passageiros, que já não deverão pagar localmente essa taxa, mas sim através da sua agência de viagens”, acrescenta a informação.

 

Clique para mais notícias: São Tomé e Príncipe

Clique para mais notícias: Agências&Operadores




Hotel Omali Lodge conquista certificado internacional de turismo responsável

O OMALI Lodge Boutique Hotel, na ilha de São Tomé e Príncipe, é o segundo hotel do continente africano a obter a certificação “Biosphere Responsible Tourism”, atribuída pelo Instituto de Turismo Responsável (ITR), entidade internacional independente, membro do Conselho Global para o Turismo Sustentável (GSTC) e da Organização Mundial de Turismo (UNWTO).

Os trabalhos de preparação para esta certificação duraram cerca de um ano e meio, período em que foram realizados investimentos financeiros e de formação profissional, no âmbito do turismo responsável e sustentável, que envolveram colaboradores, fornecedores e clientes do Omali Lodge Boutique Hotel.

Ao longo deste processo foram consideradas todas as vertentes da gestão ambiental, desde o modo de utilização da água, da energia e dos resíduos, à conservação e promoção da natureza, do património, da arquitectura e da cultura local. O Omali Lodge Boutique Hotel agradece a todos os que directa e indirectamente contribuíram para a atribuição desta certificação e compromete-se a assumir o papel de actor local, na promoção do desenvolvimento sustentável e responsável do hotel e da Ilha de São Tomé.

À certificação do Bom Bom Island Resort na ilha do Príncipe, que foi o primeiro hotel em África a obter a certificação “Biosphere Responsible Tourism”, junta-se agora o Omali Lodge Boutique Hotel em São Tomé, por uma entidade independente, contribuindo desta forma, para a imagem de excelência e responsabilidade turística dos hotéis administrados pela HBD e do destino de São Tomé e Príncipe.

Pode ter acesso a mais pormenores no link seguinte – Omali Lodge Boutique Hotel recebe certificação da Biosphere

Aritgo Publicado no Tela non




Grupo sul-africano vai construir um hotel de cinco estrelas na ilha do Príncipe

A ilha do Príncipe vai servir de cenário para a construção de um hotel de cinco estrelas, resultando de um investimento de mais de 12 milhões de dólares por parte do grupo sul-africano HBD, num projeto que envolve também a portuguesa Mota-Engil.

Segundo o ministro da Economia são-tomense, Agostinho Fernandes, a conclusão da obra está prevista para 2016 e o local escolhido para acolher este complexo de luxo foi a praia Sundy, uma zona turística da região autónoma do Príncipe.

A HBD tem investido não só em infraestruturas hoteleiras e turísticas, mas também em obras de reabilitação e modernização do único aeroporto existente nesta ilha são-tomense. Além disso, o grupo sul-africano também tem apostado no financiamento do setor agrícola, bem como na formação de quadros.

Fonte: http://www.abola.pt/africa/ver.aspx?id=539867

Imgem: Eu Sou Príncipe

 




São Tomé e Príncipe também estará presente na Expo Milano 2015 Data de Publicação

São Tomé e Príncipe também estará presente na expo no cluster cacau sob o tema cacau, biodiversidade com cultura feliz. Mais de 140 países em um só lugar numa só caminhada! Compre bilhetes antes de Abril e salve até 20%

Expo Milano 2015 foi escolhido o tema “Alimentando o Planeta, Energia para a Vida”, que classifica como o momento de diálogo entre os líderes da comunidade internacional sobre os principais desafios que a humanidade enfrenta. O objetivo não é dar respostas claras, mas levantar questões e fornecer os visitantes com ferramentas úteis para encontrar as suas próprias respostas pessoais.

O debate envolve visitantes e participantes e é construído dia após dia através de eventos, exposições, conferências e reuniões que realizam as principais questões que Expo 2015 quer aprofundar. O desenvolvimento do site Expo, os conteúdos das áreas temáticas, o Cluster e os Participantes, arquiteturas: all in Expo Milano 2015 é uma representação do tema Alimentando o Planeta, Energia para a Vida. Um verdadeiro desafio que envolve todas as partes interessadas que se perguntam sobre as conseqüências de suas ações para as gerações futuras.

Saiba mais aqui http://www.expo2015.org/it/index.html

Imgem: Expo Milano 2015